quinta-feira, 15 de março de 2012

P.A.

Quando Luis Alberto ficou com Glorinha, com o perdão do trocadilho, foi a glória. Logo ele, que não fazia sucesso com as mulheres, tinha beijado a menina mais bonita do bairro. E não foi só. Tiraram um sarro no carro dela e marcaram de se encontrar de novo na quinta-feira.

A semana demorou meses para passar. Ele quase não dormiu. Não estava acostumado com isso. Geralmente, tinha de se esforçar muito para sair com alguma mulher. E mesmo assim quase nunca dava certo. Mas dessa vez era diferente. Fora ela que tomara a iniciativa. Agora era só deixar rolar.

Passou a quinta-feira ao lado do telefone. Queria ligar, mas não tinha coragem. Quando Glorinha ligou, sentiu até uma vertigem. Marcaram para as oito horas. Ela iria buscá-lo em casa. Gastou o resto do dia escolhendo lugares. Fez até uma lista. E, pelo sim pelo não, pediu dinheiro emprestado a um amigo.

Glorinha foi pontual e, para seu espanto, objetiva. Foram direto para o motel. Não deu nem para beber uma cerveja. Começaram a se agarrar na escada. Apesar do nervosismo, Luis Alberto trabalhou bem. Não entendeu direito o que estava acontecendo, mas aproveitou tudo que pode. Quatro horas e cinco trepadas depois, ela deixou-o em casa.

Acordou com a sensação de ser o super-homem. Tinha a certeza de que estava namorando. Nada o abalava. Nem mesmo o fato de Glorinha não atender a seus telefonemas. Nenhuma das nove tentativas. Só foi ficar grilado quando se encontraram por acaso no dia seguinte. Ela passou direto. Mal o cumprimentou.

Nos dias seguintes, a coisa não mudou. Ele a procurando e ela o ignorando. Quando Luis Alberto já estava ficando desesperado, Glorinha ligou. Marcou outro encontro para quinta-feira. O roteiro foi o mesmo. Direto para o motel e de lá para casa. Sem conversas nem justificativas.

Depois de algumas semanas, Luis Alberto não aguentou mais. E exigiu uma explicação. Glorinha foi simples e direta. Era assim ou nada. Só sexo. Sem compromisso, nem cinema aos domingos. Ele até poderia sair com outras mulheres desde que tivesse a quinta-feira livre. Luis Alberto titubeou. Mas depois de pesar os prós e os contras, acabou topando. E treparam mais uma vez.

1 Comments:

Anonymous eu de novo said...

Cuidado para não cair Luis Alberto, vertigem é foda!
kkkkkk!

Estava em Pronto Atendimento tadim... Ruim demais ficar em estado de prontidão por dias! Mas é um exercício ótimo para concentração, boto fé!

1:29 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home